O que é a análise SWOT?

O que é a análise SWOT?

Sabemos que algumas decisões não são fáceis de tomar, sejam elas do ambiente de trabalho ou do dia a dia. Nem sempre é possível pensar com clareza e analisar os fatos racionalmente, principalmente quando há sentimentos envolvidos e percepções envolvidas. Assim, como análises de marketing podem ser subjetivas, sempre surgem técnicas para tentar facilitar o processo identificação e classificação de negócios e neste âmbito a análise SWOT é uma ferramenta clássica para planejamento estratégico.

SWOT = Strenghths, weakness, opportunities e threats (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças)

A Análise SWOT é uma técnica amplamente ensinada em cursos de graduação, nas áreas de marketing e comunicação, algumas pessoas traduzem o termo para português e chamam de análise ou matriz FOFA, sendo um método de planejamento estratégico que pode ser utilizado para fazer uma análise de cenários ou ambientes para facilitar tomadas  de decisão.

A SWOT foi criada entre as décadas de 1960 e 1970 por Albert Humphrey, pesquisador da Universidade de Stanford. Por lá, o consultor de empresas liderou um projeto de pesquisa onde analisou e cruzou sistematicamente os dados das 500 maiores corporações relatadas pela Revista Fortune da época. 

Qual o objetivo da matriz FOFA?

O principal objetivo de uma análise SWOT é analisar oportunidades e ameaças e diagnosticar os prós e contras para um negócio. Além disso, usando esse método, os sinalizadores de sucesso ou falha podem ser listados.

A avaliação se divide no estudo do comportamento empresarial e do mercado sob a ótica da empresa. No entanto, vale ressaltar que é muito importante sempre avaliar o mercado no campo da empresa. Você não quer comparar seu negócio no setor industrial com o resto do setor de varejo, não é?

Conceito de análise SWOT

Para você entender melhor como é uma análise SWOT, observe o quadro na imagem a seguir. Logo abaixo, descrevemos conceitos importantes dessa ferramenta.

Conceito de análise SWOT

A SWOT pode reunir diversas informações, mostrando o panorama geral delas em relação ao ao negócio ou ao momento de comunicação. Ela é composta por uma tabela com quatro quadrantes, trazendo as informações dos pontos positivos e negativos (ou a melhorar) que são cruzados com as informações dos fatores externos e internos. Conheça mais sobre eles.

  1. Ambiente Interno

Em ambiente interno deve-se analisar as forças e as fraquezas, classificando o desempenho e a importância de suas características. Para um melhor entendimento e, usando o exemplo de uma empresa, você precisa avaliar critérios como:

  • Relacionamento com cliente;
  • Capacidade de operação;
  • Recursos humanos e financeiros;
  • Competências;
  • Reputação;
  • Tempo de mercado;
  • Produção, criação e atendimento.

Forças ou pontos positivos (Strengthts)

Você realmente sabe no que sua empresa é boa? Aqui, você irá avaliar os pontos fortes e, consequentemente, as vantagens do seu negócio sobre a concorrência. Para te ajudar, procure fazer algumas perguntas para si mesmo e responder outras questões, tais como:

  • O que faz com que os clientes optem pelo meu negócio? 
  • Qual a sua maior vantagem competitiva?
  • O que diferencia o seu negócio dos demais?
  • Quais são as melhores atividades realizadas?

Respondendo às questões, você terá a força do negócio. Por isso, lembre-se que quanto melhor for posicionando sua empresa, mais características serão encontradas e se tornarão essenciais.

Fraquezas ou pontos negativos (Weaknesses)

Por outro lado, como o próprio nome já diz, aqui você irá pensar em questões que podem ser a fraqueza do seu negócio, que ao invés de desenvolver a sua empresa, prejudicam. Assim, como as forças, para achar mais facilmente o que pode estar sendo ruim para o seu negócio. faça e responda algumas questões, como:

  • Por que a concorrência é escolhida?
  • Como está sendo a mão de obra?
  • O custo-benefício está sendo bom?

Dica extra: Faça uma observação, análise e avalie todas as fraquezas de modo isolado para entender e perceber os fatores que são responsáveis por determinadas situações.

Pontos fracos, fortes, oportunidades e obstáculos da análise SWOT.
  1. Ambiente externo

O ambiente externo é aquele que não existe um controle, mas deve estar sempre sendo monitorado, pois muitas vezes é chave para o um bom planejamento estratégico de marketing. Através desse acompanhamento contínuo será possível identificar as oportunidades e as ameaças que se apresentam e trabalhá-las. Aqui deve-se ficar sempre atento ao micro e macro ambiente, assim alguns assuntos que podem ser tratados desse ambiente externo são: 

  • Comportamento dos clientes e poder de barganha; 
  • Concorrentes; 
  • Questões políticas, demográficas, tecnológicas, econômicas; 
  • Barreiras de entrada; 
  • Fornecedores;
  • Como as entidades de classe se organizam; 
  • Substitutos de serviços.

Oportunidades (Opportunities)

As oportunidades são o que influenciam positivamente uma empresa. Nesse momento é preciso realizar uma pesquisa a fundo sobre acontecimentos que podem impactar positivamente nos seus negócios, sendo positivas para os clientes. Algumas questões que podem te ajudar a descobrir as oportunidades, são:

  • O público da minha empresa está mudando de comportamento?
  • Minha empresa pode aproveitar esse modismo que surgiu? 
  • O desenvolvimento da tal ferramenta ou tecnologia pode agregar valor a minha produção e empresa?

Lembre-se que nesse momento tudo é possível e podem existir mudanças recorrentes e até mesmo repentinas, por isso, é importante fazer uma boa avaliação e pesquisa.

Ameaças (Threats)

Ao contrário das oportunidades, as ameaças são todos os eventos desfavoráveis para a empresa, que agem como uma influência negativa. Nesse cenário, precisa ter muita cautela, pois pode prejudicar o planejamento estratégico e os resultados diretamente, assim pode-se levantar algumas questões:

  • Existem previsões de mudanças climáticas, guerras, catástrofes?
  • Podem existir novas leis que regulamentam o setor da minha empresa?
  • Existem novos competidores no mercado?
  • Meus produtos e serviços podem se tornar antiquados?

Quem pode fazer a Análise SWOT?

Apesar de parecer algo extremamente difícil de se fazer e ser mais utilizado por empresas, qualquer pessoa pode fazer a análise SWOT de seu negócio, desde que procure entender melhor sobre o assunto, já que a matriz pode trazer consequências positivas e negativas.

Entretanto, é preciso ressaltar que esse processo torna-se mais rico quando há uma uma equipe unida e ocupada em levantar informações e montar todo o esquema. Assim, cada pessoa pode contribuir com a realidade que vive na sua rotina.

Pontos positivos e negativos da Matriz SWOT

Quais são os pontos positivos e negativos da própria matriz SWOT?

A análise SWOT é um método poderoso, mas não é adequado para todas as situações. Sim, nem sempre podemos analisar cenários usando a análise SWOT. Deste ponto de vista, é importante mostrarmos os pontos fortes e fracos dela. Assim, você pode usar a matriz SWOT de forma mais decisiva, além da análise de cenários.

Pontos Fortes:

  • Insights para solucionar problemas;
  • Estimula o planejamento de ideias para marketing e comunicação;
  • Priorização de ações;
  • Ferramenta acessível; 
  • Análise de fácil compreensão; 
  • Possibilidade de alavancar projetos.

Pontos fracos:

  • Ferramenta descritiva;
  • Você montará o plano de ação; 
  • Dificuldade de limitar fatores a serem listados.

Como montar uma Análise SWOT?

Agora que já falamos sobre a análise SWOT em si e seus principais conceitos, chegou a hora de darmos algumas dicas de como criar uma matriz SWOT. Veja só!

  1. Identifique seu objeto de estudo

O primeiro passo, antes de tudo, é ter um um objetivo claro e definido como objeto de análise. Lembrando que precisa ser suficiente para que a matriz SWOT seja eficiente. Para um melhor entendimento, utilizaremos uma loja qualquer como exemplo, nesse passo a pergunta a se fazer seria:

  • Será que devemos criar uma rede social para a loja?

Portanto, a ideia é analisar se uma rede social para a loja em questão irá agregar valor à marca ou não. Assim, uma ideia entra em debate.

  1. Faça pesquisas

Nessa etapa é preciso fazer uma pesquisa detalhada sobre o seu objeto de estudo para entender tudo sobre ele e fatores internos e externos que podem o atingir. Ainda seguindo o exemplo anterior, você pode pesquisar sobre as redes sociais que seus clientes e concorrentes utilizam, por exemplo. 

  1. Faça um brainstorming

O brainstorming é um passo essencial para tentar descobrir todas as variáveis possíveis. Comece com questões óbvias e simples e vá seguindo até chegar em situações específicas. Afinal, a ideia aqui é encontrar os fatores mais importantes que o levarão a tomar a decisão mais assertiva

Para essa terceira dica, é ideal que você tenha um esboço da matriz SWOT para ir jogando as respostas. Portanto, nessa etapa irá englobar tudo que vimos sobre SWOT anteriormente.

  1. Refine resultados e dê o último passo

Aqui é o momento de “passar a limpo” o quadro da matriz SWOT, tornando suas respostas para cada conceito o mais específicas possível. Com o quadro pronto e organizado, você terá uma visão completa de suas forças, fraquezas, ameaças e oportunidades. Mas, o que fazer após a análise SWOT?

Bem, é hora de dar o próximo passo, após concluir sua análise SWOT, você pode analisá-la  e convertê-la para uma estratégia real através de um plano de ação.


Gostou do conteúdo? Continue acompanhando o blog da Meu Marketing para absorver mais conhecimentos como esse! Caso tenha alguma dúvida, basta clicar no botão abaixo e falar com os nossos especialistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.